SER BIÓLOGO - UMA MISSÃO DE TODOS

Texto por: Jéssica Machado


Quando tratamos desse assunto precisamos primeiro responder uma pergunta: onde? Pergunto porque em alguns países essa profissão é reconhecida. Em se tratando do Brasil, a profissão é um misto de céu e inferno ainda que ele seja o país mais rico e importante ambientalmente falando.

Nesse paraíso - diferente do da promessa divina pós-morte - não entra só quem foi bonzinho e merecedor. Temos de um tudo: madeireiros, traficantes de fauna e flora, milionários de usinas hidrelétricas, bancada ruralista, latifundiários, fazendeiros... a lista daqueles que o habitam e tentam transforma-lo em purgatório é grande. Temos que lutar contra muitos e o pior deles - um sistema consumista, irresponsável e agressivo. Biólogos ativistas morrem aos montes pelas terras do Brasil, trabalham para defendê-las e acabam com seu sangue nela. Triste realidade. Abafada e pouco comentada.

Faca de dois gumes. Essa profissão que ao mesmo tempo dá medo, carrega consigo aquela paixão, orgulho e noção do quão importante e sagrado é teu território nos seus mínimos detalhes, desde uma alga até uma Samaúma, um boto cor de rosa, uma arara azul ou onça pintada, um coco de roda, samba raiz, capoeira, São João... é infinita a lista de riquezas desse lugar. Vai de terras indígenas, quilombolas ao morro do Vidigal. Impossível não amar.

Por essas e tantas que o número de biólogos assassinados cresce.

A gente aceita correr o risco. Risco para quem esta na ativa, trabalhando pela mata, cultura ou legislação ambiental. Porque outra dura realidade é que essa área gera pouco emprego e muito desemprego. Muitos são os biólogos que desistem de exercer suas funções e vão se frustrar trabalhando em outras realidades, para poder sobreviver - e a remuneração também não é lá essas coisas, salvo raros casos de pesquisadores. Fomos educados para servir a um ideal, para seguir os passos dos biólogos pioneiros como se ainda vivêssemos na época dos naturalistas, vivendo como franciscanos à margem do mercado.

Precisamos mudar essa realidade. Juntos. Biólogos ou não, essa profissão precisa ser valorizada por sua importância.

Tratamos sustentabilidade, conservação de ecossistemas, controle de pragas, saúde publica, meio ambiente,e tentamos mostrar através da educação socioambiental a importância de se reconhecer natureza, respeita-la e cuidar de tudo que a pertence. Para plantarmos nossas sementes tão importantes na Terra, temos que nadar contra a correnteza, correndo o risco de morrer na praia. Já passou da hora do Brasil se unir e expulsar velhos padrões que nos diminuem e prejudicam, abraçar nossa cultura, nosso verde e amarelo. Honrar esse lugar e toda a Mãe Natureza Sagrada que habita nela. Ordem e progresso só será possível, se formos juntos!

6 visualizações