menarca

A menarca é a primeira menstruação, um evento central da puberdade feminina, e sinaliza a possibilidade de fertilidade. Quando a primeira menstruação ocorre, ela confirma que a garota teve crescimento gradual do útero induzido pelo estrogênio.


É o marco de uma mulher, quando deixa de lado sua vida infante e se torna uma moça. Nos nossos dias atuais, é comum uma jovem se sentir envergonhada, perdida ou assustada com a primeira menstruação, mas nossas rodas de mulheres do passado passavam por esse momento com muita alegria e força, as mulheres se juntavam para consagrar essa mudança tão importante na vida de uma mulher através de um rito. A partir desta data a criança que se tornou moça passa a um novo nível de aprendizado e é aceita nas rodas dos mais velhos. Onde assumira novas responsabilidades.


O Rito do Menarca é considerado por muitas o Rito mais importante que uma mulher passa e por isto é comemorado e tinha como função auxiliar a menina a entender sua condição física e sua relação com a função procriadora da natureza, o poder de dar vida. Também trazendo liberdade e responsabilidade, a partir de suas regras, a jovem deve assumir o comando de sua vida.


Rituais como este foram celebrados entre povos tão distantes quanto os africanos, havaianos, celtas e nativos americanos. Muitas são as Tradições mágicas ligadas à menstruação da mulher e seu ciclo. No Egito os Faraós faziam elixires mágicos com o sangue menstrual para aumentar os seus poderes espirituais e magnetismo. Os gregos misturavam o sangue menstrual de uma mulher nas sementes que seriam plantadas, pois acreditavam que isso aumentava a fertilidade do solo e a possibilidade de conseguir uma colheita farta. Muitas são as lendas que nos falam da criação do mundo através do sangue menstrual da Deusa. Muitos povos antigos construíam templos especiais dedicados à reclusão das mulheres durante sua menstruação, uma vez que eles acreditavam que a mulher possuía poderes mágicos incríveis durante esta fase. As mulheres também eram altamente honradas durante seu período menstrual e recebiam privilégios. Entre os nativos americanos a mulher menstruada saia à noite para caminhar nua entre os campos quando as sementes estavam crescendo, isso afastava os insetos e pragas. É importante para as mulheres recuperarem o sentido sagrado do fato biológico central em suas vidas. O período menstrual é o momento em que podemos aprender mais a nosso respeito e curar nossas feridas. É a nossa fase de bruxa, de nos internalizar, representação da Lua Nova. A menstruação é uma das coisas mais sagradas para uma mulher, sinal inclusive de saúde, e provavelmente o Mistério mais profundo da sacralidade feminina e espiritualidade da Deusa.


Uma mulher que não é ensinada a honrar a sacralidade do seu corpo e de sua menstruação perde o seu orgulho, sua autoestima e confiança. O retorno aos rituais que celebram a Menarca e a transição da infância para a fase adulta da mulher formam a noção de individualidade, honra e respeito em uma mulher, já que as mulheres não sentem naturalmente vergonha da sua menstruação, são sim ensinadas a isso. É perceber o seu sangue como o elixir da vida, sem o qual ninguém existiria. Quanto mais as mulheres honrarem seus sagrados corpos, mais a humanidade estará se afastando do caos promovido por séculos de patriarcado e ofuscação da força e poder feminino. O sangue menstrual possibilita a mulher a lembrar todos os meses de que ela é a manifestação da Deusa na Terra, que ela é fértil como a Terra, que ela é a força que nutre a vida. O não reconhecimento deste poder te faz renegar a própria Deusa. A mulher que honra seu ciclo mensal passa a ver o seu sangue não com vergonha ou trabalhoso, mas como sagrado, o sangue da vida.

94 visualizações